Ecoando o amor além fronteiras

Nossa Senhora de Pietá, rogai por nós!

03 ABR 2017
03 de Abril de 2017

Paz e bem! Salve Maria!

 

Entramos na reta final da quaresma, tempo que a igreja nos prepara para experimentarmos de uma maneira concreta em nossas vidas, a ressurreição de Cristo. 

Na semana que antecede a páscoa, vivenciamos a paixão de cristo, que culminou na entrega de sua vida, para nossa salvação. Mas também lembramos a dor de sua mãe, que por amor a DEUS e a cada um de nós, entregou seu único filho, para que a palavra de DEUS se cumprisse em sua plenitude.

 

Maria, a mulher de fé e a mulher das dores. Talvez muitos de nós já ouvimos falar das sete dores de Maria, e uma delas foi no calvário, quando aos pés da cruz, recebeu seu único filho  em seus braços, onde o contemplou todo  desfigurado,  ensanguentado,  gelado,  sem vida, transpassado. Maria a mulher das dores!  Naquele momento Maria representava aos pés da cruz, toda mãe que de alguma forma sofre por seu filho, muitas vezes vítimas de uma sociedade sem amor, de um mundo  cada vez mais menos humano.

 

Talvez foi procurando vivenciar esta imagem de Maria no calvário, que  levou a ´´MICHELANJELO ´´  a  pintar o ícone de NOSSA SENHORA DA PIEDADE, inspirado em  `` PIETA ``[ Nossa Senhora das DORES ], onde Maria recebe JESUS em seus braços.

Maria quando deu o seu sim a DEUS, já sabia que se tornar a Mãe de JESUS, seria ser também a Mãe do CRUCIFIXO, por isso Nossa Senhora da Anunciação é também, Nossa senhora das Dores.

 

Com certeza Maria sempre teve seu coração dilacerado quando pensava que teria um dia que entregar seu filho, para redimir o  pecado da humanidade. 

Mas devemos também ver, o lado positivo da dor , afinal a alegria nos reúne, mas a dor nos une. Quem se dispõe a amar, deve estar disposto a sofrer, pois sem amor não se vive, e sem dor não se ama. Através da nossa dor, podemos colaborar com DEUS pela redenção nossa e do mundo.

No calvário não houve  uma vítima apenas, mas duas: -  A de Jesus e a de Maria, com um único amor. O sangue de Jesus era o de Maria, e a ação de Maria , era o de Jesus. 

 

Que possamos nós em tempos de reflexão, colocarmos  a nossa dor à dor de Maria, unindo a dor dela com a dor de CRISTO, neste silencio da cruz, para que assim como ela, também nós dizermos nosso  `´ fiat `´ a DEUS:

“ EIS ME AQUI SENHOR ,FAÇA SE EM MIM SEGUNDO A VOSSA VONTADE. “

NOSSA SENHORA DA PIEDADE : ROGAI POR NÓS.

   

Roque Antônio

Voz do Peregrino 

Voltar

Ecoando o amor, além fronteiras!

Diocese de Saitama - Japão