Ecoando o amor além fronteiras

Primeira catedral no mundo dedicada a Santa Teresa de Calcutá

02 OUT 2017
02 de Outubro de 2017

Uma igreja que une cristãos e não-cristãos, graças ao carisma desta santa tão especial

Vinte anos após a morte de Santa Teresa de Calcutá, milhares de cristãos e muçulmanos se uniram para celebrar a consagração da co-catedral católica romana em Pristina, Kosovo.

A Catedral de Santa Teresa também é a única no mundo dedicada à santa albanesa. A consagração ocorreu no dia 5 de setembro de 2017, no primeiro aniversário da canonização da Madre Teresa. Não foi apenas uma inauguração, mas também um evento ecumênico e inter-religioso.

Da construção à consagração

A pedra angular da Catedral foi colocada em agosto de 2005 pelo primeiro presidente de Kosovo, Ibrahim Rugova, falecido atualmente. A construção em si começou em 2007. A ACN – Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre – ajudou em diferentes fases do projeto (2007, 2009, 2014 e 2016). O bispo Dode Gjergji agradece à obra de caridade pastoral: “Empreendemos este projeto confiando na providência de Deus, na força de nossa nação e nas contribuições de nosso povo. Pensamos que a construção levaria décadas. A ACN tem sido a maior apoiadora neste projeto. Obrigado pela cooperação”.

Em nome do presidente internacional da ACN, Cardeal Mauro Piacenza, o assistente eclesiástico internacional da fundação, Padre Martin Barta, disse em seu discurso: “Estou profundamente satisfeito pelo fato da ACN ter contribuído ativamente para a construção dessa co-catedral. Santa Teresa de Calcutá, intercedei por todos nós, filhos de Deus, para que, nessa terra – banhada por muito sangue e lágrimas e ferida pela violência – essa igreja que leva seu nome possa ser um espaço de pura oração, encontro, diálogo e respeito”.

Embora a Santa Sé ainda não reconheça a independência de Kosovo da Sérvia, o Papa Francisco nomeou o Cardeal Ernest Simoni, de 88 anos, como seu enviado especial para liderar a cerimônia. Dom Simoni é albanês, sobreviveu a quase 30 anos de tortura em campos de trabalho e foi condenado duas vezes à morte sob a ditadura comunista de Enver Hoxha.

Diálogo inter-religioso

Os bispos das igrejas ortodoxas albanesas e sérvias, bem como as autoridades de várias comunidades religiosas islâmicas, participaram da cerimônia porque, embora a comunidade católica seja uma minoria neste país predominantemente muçulmano, a Igreja em Kosovo goza de respeito e autoridade significativa. Os muçulmanos albaneses veem os católicos e os seus sacerdotes como os guardiões da identidade e da história albanesas. Os poderes políticos kosovares dotaram a Igreja Católica em Kosovo de reconhecimento especial quando aprovaram a construção da Catedral da Madre Teresa em Pristina, a capital do jovem país.

Alguns anos atrás, o ex-presidente em exercício da Assembleia do Kosovo, Jakup Krasniqi, disse que o motivo do apoio político ao projeto era o papel único que a Igreja desempenha em sua cultura e identidade nacional. Os primeiros documentos escritos na língua albanesa – por exemplo, a fórmula batismal e as Escrituras – foram feitos pela Igreja Católica. Isso, de acordo com Kraniqi, é a razão pela qual as duas religiões, islamismo e cristianismo, têm vivido lado a lado pacificamente, algo praticamente único nesta área dos Balcãs.

Fonte: Site Aletéia

Voltar

Ecoando o amor, além fronteiras!

Diocese de Saitama - Japão